sábado, 18 de outubro de 2008





2 comentários:

bruno andrade disse...

Agora que percebo...

Incrível como essa última imagem de Conto de Inverno lembra, pela granulação e pela lateralidade, bem como pelas cores, o figurino, o vermelho neutro da cortina, a disposição espacial no interior de um 1.85 que Rohmer usa à plenitude quando filma em Super-16 mm., sem falar na frontalidade e no hieratismo natural da posta-em-cena, uma daquelas utilizações do CinemaScope nos primeiros filmes que a Fox lançou no formato - tipo Beneath the 12-Mile Reef, River of no Return, Hell and High Water e o inevitável Hajji Baba.

Marlon disse...

É incrível como muito do que o Rohmer teoriza no livro sobre o espaço em Fausto dá se de ver claramente em seus filmes. Julgamento estético, essa última imagem (fabrica com excelência) de CONTO DE INVERNO.

Arquivo do blog