domingo, 17 de maio de 2009

E depois há esta ideia de que a cinefilia é uma espécie de festa, uma coisa divertida, um carnaval diletante; não é, nunca foi; antes, uma obsessão, uma doença mental e civilizacional, triste como a noite e os cemitérios.

Um comentário:

Maria Rita disse...

mas nossa civilização é a primeira a ter o cinema, assim, como hoje o concebemos. não um homem a observar as mudanças da paisagem, tal qual uma tela. se pudesse observar outra vez a paisagem, e ver-se nela refletida, haveria algo além dos rostos e signos meramente comunicativos à saída do cinema? esses sim dignos de silêncio

Arquivo do blog