terça-feira, 5 de outubro de 2010

7 comentários:

Jesús Cortés disse...

Así, con esas frases publicitarias, parece algo épico y trepidante.
Y lo mejor es que lo es, pero de verdad, sin alharacas, sin trucos, mucho mejor que "The bitter tea of General Yen", que ya era maravillosa.
Yo no mencionaría "Hatari!" como ejemplo de cine de aventuras, es casi lo contrario, pero sí "7 women" y no en el aspecto que decía Godard de "La nuit de carrefour", sino directa, diáfanamente.

Levis disse...

Você e o Serjão postaram o mesmo poster. Filme da mostra, é isso?

bruno andrade disse...

Cara, na cópia em que foi exibido, até Airmail é filme da mostra (tenta não perder The Long Voyage Home, que apesar de estar em 16 mm. tá bem bom e com aquele contraste fodido das fotos do Toland com o Ford). Mas tanto Seven Women como Donovan's Reef foram verdadeiras revelações - já amava imensamente esses filmes antes, mas nas cópias impecáveis que vocês passaram são verdadeiras arautos de idolatria. Seven Women = Imperatriz Yang Kwei Fei, e na cópia que veio percebe-se exatamente isso.

Jesús: acabo de assistir o filme (e vários outros Ford, dentre os quais The Quiet Man e How Green Was My Valley) numa cópia 35 mm. l-i-n-d-a. Ainda estou sem fôlego. Mais aqui.

Anônimo disse...

A cópia de Crepúsculo de uma Raça também está ótima. Mais ou menos no nível de Seven Women e Donovan's Reef.

Bruno Amato

Sérgio Alpendre disse...

opa, quero crédito pela comparação com Imperatriz (hehe). Se bem que é meio fácil, os deuses andam por caminhos semelhantes.

bruno andrade disse...

Sorry Sérgio: a comparação já havia sido feita pelo Jean Narboni na edição n° 182 de setembro de 66 do Cahiers. O que significa, entre outras coisas, que nem você nem eu delirávamos (muito) ao final da sessão.

Quem estiver em SP e arredores e perder Crepúsculo de uma Raça é mulher do padre.

Sérgio Alpendre disse...

ups, descobri depois que o Bruno Amato indicou o caminho para uma versão em inglês do texto no meu blog.

Arquivo do blog