segunda-feira, 27 de fevereiro de 2012

Méliès

2 comentários:

bruno andrade disse...

Mais especificamente aqui (até 0:39:58) e aqui. Mas evidentemente todo o filme, como todo filme digno de ser chamado de filme - ou seja, que não se chama Hugo Cabret -, é feito sob o signo dos Lumière e de Méliès.

bruno andrade disse...

Por sinal: como filme sobre preservação, e conseqüentemente sobre resistência, incomparavelmente mais relevante, atual, íntegro e cinematográfico que o Scorsese.

Arquivo do blog