quinta-feira, 27 de setembro de 2012

De como sempre podemos contar com o discernimento e com a justeza das hierarquias cinematográficas dos nossos "cinéfilos":

Tony Scott morre = noticiado imediatamente e seguem-se cinco dias entulhados de especulações sobre o suicídio, últimas homenagens ("grande estilista", "ao mesmo tempo cineasta experimental e comercial" e toda aquela ladainha me-engana-que-eu-gosto que impressiona fácil gente sem gosto, sem olho e sem faro), em suma, todo um muro de lamentações em volta do cara;

Marcel Hanoun morre há cinco dias atrás = hein? o que? (sons de cigarra)

Nenhum comentário:

Arquivo do blog