quinta-feira, 13 de março de 2014

Krohn: You once said to Roland Barthes, according to Godard, "language, monsieur, is theft." Is that true and what did you mean?

Moullet: Because in films we have the language of MGM, Warner Bros., Fox...

Krohn: The studios...

Moullet: Yes, and I think the people of these studios are thieves. What's interesting are films which are not yet a language, which are coming to language but have not yet achieved it...








3 comentários:

bruno andrade disse...

La Peur, petit chasseur

bruno andrade disse...

2

Straub - Infelizmente, o cinema é uma linguagem, mas tento destruir esta linguagem, tento fazer filmes que não levem em consideração esta linguagem.

Huillet - Não é nada complicado: é o mesmo trabalho que fazem os poetas sobre a língua. Eles pegam uma língua que em muitos casos tornou-se rígida, tornou-se um sistema de hábitos que é quase uma língua morta e bruscamente tentam fazer coisas que ainda não foram feitas ou que foram esquecidas há muito tempo.

Straub - Mas justamente com as palavras mais simples - e o menor número de palavras possível - as palavras mais gastas. Não é com palavras poéticas que se faz poesia.

Huillet - E passa-se a mesma coisa com os filmes: talvez se os camponeses lessem poesias no momento em que Verlaine escrevia os seus poemas, estes poemas não lhes teriam parecido monstruosos, ao passo que para os burgueses Verlaine era um escândalo.

Straub - Por que? Porque Verlaine destruía uma certa retórica poética que as pessoas do campo ignoravam. Então, eles teriam lido aquilo como liam outra coisa. Talvez lhes parecesse um tanto estranho, porque afinal... Mas a estranheza positiva não é um obstáculo.

bruno andrade disse...

3

[Straub]
... Ora, quando o público vai ver um filme que examina as contradições da realidade, o público reage. Reage - com razão - porque não conhece outra linguagem. O cinema comercial ensinou ao público uma linguagem que só lhe permite ler a mentira! Mas há o famoso teste que Henri Langlois fez na Cinemateca Francesa: durante meses, ele mostrou para um grupo de crianças apenas os grandes filmes de arte do cinema, Potemkin, Cidadão Kane, Aurora, os filmes de Chaplin, de Buster Keaton e outros: meses depois mostrou um filme de James Bond e as crianças não entenderam nada. Acharam uma grande porcaria!

Arquivo do blog