sexta-feira, 28 de novembro de 2008



Não há melhor comentário sobre como e de quais formas essas noções triunfantes do "efêmero" e do "contemporâneo" são nada mais que uma forma de retrocesso.

2 comentários:

Evandro Duarte disse...

O cinema está fadado ao esquecimento, pois?

bruno andrade disse...

Espero que não.

Arquivo do blog