domingo, 12 de abril de 2009

Ainda sobre a Lupino, o texto do Michael Henry Wilson que saiu na Positif nº 540, Parce que le coeur n'est pas de marbre, é leitura absolutamente obrigatória.

Michael Henry Wilson é facilmente um dos melhores críticos em atividade, com textos seminais sobre Walsh, Borzage, De Palma, Cimino, Eastwood, Vidor, Ulmer, Sirk, Cassavetes, Scorsese, Fuller, Sautet, Pollack, Fleischer, Altman, Lupino evidentemente, e a ele devemos tudo o que há de bom nas jornadas "pessoais" do Scorsese pelo cinema americano.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog