sexta-feira, 23 de abril de 2010

"Os ogros sempre existiram, e existem até hoje"

3 comentários:

luismalv disse...

Gosto imenso deste blog mas este caso Green pelo que vejo é pior que um equivoco. Parabéns e obrigado, de qualquer forma

bruno andrade disse...

Obrigado Luis.

A respeito de Green, posso recomendar a leitura de um conterrâneo seu?

http://durodisco.blogspot.com/2007/10/o-que-o-cinema-permite.html

http://durodisco.blogspot.com/2007/10/um-europeu-adoptivo.html

Abraço.

luismalv disse...

Já li. É um texto muito factual (o que decorre da tradição, o que se vê e ouve) e daí infere o valorativo, obra prima. Eu falei sem conhecimento directo de causa. Como estou mais do lado do pulsional desconfio da abstração. Mas pré-conceito há do meu lado e do LMO (de quem aprecio os textos, disordando por vezes, só não gosto nele, ou noutros, do discurso nós/eles). E, confidenciando mais, moderno é o passado.
Abraço

Arquivo do blog