domingo, 31 de julho de 2011

Cada vez que alguém diz "cinema clássico-narrativo" nasce um cruzamento de Jean-Claude Bernardet, Gilles Deleuze, escola de Frankfurt, Michel Maffesoli, estética da confissão afetiva em cine-diário, Foucault, Derrida e marxismo cultural.

Pegadinha: que fazer diante de Rohmer (clássico?) e os Lumière (narrativo?), hein sabichões?

Nenhum comentário:

Arquivo do blog