domingo, 4 de março de 2012



Num arco, se abrigando, o Sol que está morrendo,
E, mortalha, sem fim, que do Oriente nos vem,
Repara, meu Amor, na Noite aparecendo.

Nenhum comentário:

Arquivo do blog